Volkswagen Brasilia Brasilia 1600

R$ 13.990

  • Ano: 75/75
  • Combustível: Gasolina
  • Cor: Marrom
  • Portas: 2
  • Cambio: Mecânico
  • Kilometragem: 1 km
  • Raridade
Brasília 1975 – Ficha Técnica Volkswagen Brasilia 1600 Informação técnica do motor Motor : Boxer 4 Código de Motor : - Combustível : Gasolina Alimentação : 2 Solex H 32 PDSI carbs Líquido de Refrigeração : Air Disposição : Longitudinal Cilindrada : 1585 cm3 Diâmetro dos cilindros x Curso dos pistões : 85.50 x 69.00 mm Válvulas : 8 Válvulas Aspiração : N/A Taxa de Compressão : 7.20 Potência : 54 PS or 53 bhp or 40 kW @ 4200 rpm Torque : 106.0 Nm or 78 lb.ft @ 4200 rpm Tração : RWD Câmbio : 4 marchas Manual Transmission relations Volkswagen Brasilia 1600 Consumos, Emissões e Autonomia Volkswagen Brasilia 1600 Consumos, Emissões e Autonomia Consumos - Misto: - L/100km Consumos - Extra Urban: - L/100km Consumos - Urbano: - L/100km Volume do depósito / tanque de combustível : 46 L Emissões de CO2 : Volkswagen Brasilia 1600 Desempenho / Prestações Volkswagen Brasilia 1600 Desempenho / Prestações Velocidade Máxima : 138 km/h Aceleração 0 aos 100 km/h : - s Volkswagen Brasilia 1600 Dimensões, Aerodinâmica e Peso Volkswagen Brasilia 1600 Dimensões, Aerodinâmica e Peso Tipo de Carroceria / Configuração : Estate Num. de Portas : 5 Distância entre Eixos : 240 cm Comprimento : 401 cm Largura : 161 cm Altura : 143 cm Bitola dianteira : 132 cm Bitola traseira : 136 cm Coeficiente aerodinâmico (Cx) : - Freios dianteiros : Discos (- mm) Freios traseiras : Tambores (- mm) Pneus da Frente : -/- R- Pneus de Trás : -/- R- Peso : 890 kg Relação Peso/Potência : 16.5 kg/hp Volume do Porta-malas : - L Direção : Endless screw. - Suspensão da Frente : Torsion bar. Anti-roll bar. Suspensão de Trás : Semi-trailing arm. Trailing arm. Anti-roll bar. Com velocidade máxima de 138 km/h, um peso de 890 kgs, o Brasilia 1600 está equipado com um motor Boxer de 4 cilindros atmosférico, a Gasolina. Este motor produz uma potência máxima de 54 CV às 4200 rotações e um torque máximo de 106.0 Nm às 4200 rotações. A potência é transmitida à estrada através de um câmbio Manual de 4 marchas, e o tipo de tração é traseira (RWD). Quanto às caracteristicas do chassis, responsáveis pelo comportamento em curva e conforto, o Brasilia tem suspensão dianteira do tipo Torsion bar. Anti-roll bar. e suspensão traseira do tipo Semi-trailing arm. Trailing arm. Anti-roll bar. . Na travagem, o sistema de travões do Brasilia 1600 tem Discos à frente e Tambores na traseira. O modelo Brasilia é um carro do tipo Estate produzido pelo fabricante Volkswagen, com 5 portas e - lugares, vendido a partir do ano 1973 até 1982. A Volkswagen Brasília Precisamos destacar aqui que a Volkswagen do Brasil foi o primeiro braço internacional da Volkswagen, já que a mesma havia concentrado, inicialmente, os seus trabalhos na Alemanha. Para início de conversa, a montadora foi uma ideia de Adolf Hitler, que estava preocupado com os rumos que a economia alemã estava tomando e, com isso, decidiu fazer com que a montadora pudesse reaquecer a economia. Para isso, encomendou com ela um modelo de veículo que pudesse ser utilizado de forma satisfatória por uma família de quatro pessoas, que era o normal da época, além, também, de ser durável e barato. Assim, nasceu o Fusca, que foi um grande sucesso no Brasil, mas demorou para ganhar a graça do povo em outras localidades, inclusive na própria Alemanha. Com a chegada ao Brasil na década de 50, a Volks realizava pesquisas para saber como se portar em terras tupiniquins. Começou com a venda de Fuscas e de Kombi, essa última exportada de outros países, até que a linha de produção da perua foi construída no país. Depois disso, percebendo a força da marca entre os consumidores, decidiu de vez entrar de cabeça no mercado brasileiro, lançando outros tipos de carros, mas sem tirar o foco dos carros chefe, que era o Fusca e, também a Kombi. Desses projetos, lançou-se a Brasília, que era uma grande inovação para a época. Prova disso foi a tecnologia empregada para que o carro se destacasse perante os concorrentes: design arrojado, vidros com abertura panorâmica, entre uma série de outras melhorias. A intenção da VW era criar um segmento de vendas, ampliando, portanto, o seu mercado no país. E, com isso, ela foi fazendo com que a sua marca ficasse cada vez mais conhecida no país. Com a finalidade de juntar a robustez que o Fusca propiciava, com os atributos de um carro confortável e que pudesse servir também para carregar coisas, a Brasília ficou em produção por um período relativamente longo – 9 anos, de 1973 a 1982. Visto pelo lado de fora, aparenta ser um carro pequeno, dando destaque, principalmente, aos vidros com grande comprimento, o que dava uma sensação de maior profundidade ao simpático carrinho. O Brasília se consagra como sendo o primeiro carro a ser produzido totalmente fora de sua matriz alemã, genuinamente brasileiro. A semelhança com o VW Variant era inegável, porém é melhor frisar que ambos os carros eram para públicos totalmente distintos. Como a VW estava, aos poucos, consolidando o seu nome no mercado brasileiro, era natural a obsessão da mídia pelos modelos que ainda estavam por vir. Com o desenvolvimento da Brasília, não foi diferente. A especulação e a pressão da mídia era tanta que os testes eram realizados secretamente pela VW. Em um desses testes, um fotógrafo freelancer chamado Cláudio Laranjeira conseguiu algumas fotos sobre o modelo. Porém, os seguranças e outros responsáveis pela área de testes tentaram repudiar o ato do jornalista, atirando contra o seu carro. No dia seguinte a essa reação, a VW foi bombardeada, obrigando-a a emitir um pedido de desculpas contra o jornalista, que vendeu as fotos que obteve ao jornal “Quatro Rodas”, que fez a vendagem da revista triplicar. Tal reação fez com que Laranjeiras se efetivasse na fileira dos fotógrafos oficiais da revista. Por incrível que pareça existiu um modelo de Brasília que possuía quatro portas, sendo considerado um modelo de luxo e, também, como uma pegada internacional. Porém, foi vendido no Brasil, existindo, atualmente, versões raras do veículo.